top of page
  • Foto do escritorPhono

Sonâncias promove discussão sobre o mercado musical: confira a programação

Um evento mutante com a premissa de desenvolver o cenário musical local: assim é descrito o Sonâncias, híbrido de festival, seminário sobre o mercado da música e residência artística que chega a sua sexta edição em 2023.


SHOWS


Para a programação musical deste ano, que acontece nos dias 2 e 3 de junho, no Teatro Francisco Nunes, em Belo Horizonte, com entrada franca, o foco é a cena indie mineira. Serão dois dias de apresentações gratuitas com Jennifer Souza, a banda Lupe de Lupe, e Sara Não Tem Nome. Um dia antes, em 1 de junho, o projeto conta com noite de abertura com Àiyé, projeto solo de Larissa Conforto, na quente, no Centro de Belo Horizonte.


Lupe de Lupe, Jennifer Souza e Sara Não Tem Nome integram a programação do Sonâncias 2023

Sobre a escolha das atrações, Luciano Viana, um dos idealizadores do projeto, explica que a curadoria se baseou em trabalhos representativos de uma cena. “São artistas em que acreditamos nos passos dados na condução de suas carreiras”, conta.

Àiyé lança seu novo álbum na festa de abertura do Sonâncias, dia 1 de junho

DEBATES


O Sonâncias conta ainda com encontros para debater a música hoje. As rodas de conversa, que acontecem no pátio em frente ao teatro, no Parque Municipal, são abertas ao público, sem necessidade de retirada de ingresso. Os temas incluem "Festivais e a Experimentação Musical"; "Trajetórias artísticas como retrato de cenas musicais"; e "O atrofiamento da crítica musical". Entre os nomes participantes, estão nomes como Rodrigo Lima (vocalista da banda Dead Fish), Larissa Conforto (instrumentista, cantora, compositora, ex-baterista da banda Ventre e atual projeto solo ÀYIÉ), Jeft Dias (Psica Produções), Patrícia Bizzoto (Quartas de Improviso), e os jornalistas Pérola Mathias e Leonardo Lichote. A ideia é aproximar as pessoas e trocar ideias a partir desses encontros.


Marcelo Santiago, também idealizador do Sonâncias, conta que as pautas escolhidas refletem tensões e transformações que vemos e sentimos, não só no meio musical, mas no mundo como um todo atualmente.


“A velocidade e quantidade de informações em circulação, liquidez de relações, conflitos provocados ou mediados por mudanças tecnológicas se refletem nos temas que vamos abordar, de diferentes maneiras”, explica.


INGRESSOS


Os ingressos para os shows podem ser retirados gratuitamente em sonancias.quente.org.br, onde também está disponível todo o cronograma do Sonâncias. Para as conversas, que serão na parte externa do teatro, não é preciso retirar ingressos. Já para a festa de abertura, é necessário fazer um pix para contato@quente.org.br no valor de R$ 35 reais e enviar o comprovante para o mesmo e-mail, junto com os nomes de quem irá ao evento. As coordenadas serão enviadas através do email, e a capacidade do espaço é limitada.

“Acredito que é um evento muito importante por abranger dois tipos de público-alvo: agentes da cadeia produtiva da música, através da programação de formação, e o público consumidor de música, através da programação de shows”, finaliza Luciano Viana.



O EVENTO

Produzido pela Quente, o Sonâncias começou com um modelo híbrido entre ciclo de debates sobre mercado musical e festival. Ele promove discussões temáticas acerca do cenário musical desde 2015, tendo entre os debatedores produtores de festivais, músicos, representantes de órgãos públicos e de empresas patrocinadoras de atividades culturais. Em 2019, ele se desdobrou no Sonâncias Lab, um projeto experimental de residências artísticas e trocas de experiências. Na primeira edição, passamos por 3 estúdios de BH e 3 produtores convidados trabalharam com novos artistas, escolhidos entre as mais de 500 inscrições recebidas. As produtoras convidadas foram Maria Beraldo, Paula Rebellato (Rakta) e Pupillo. O encerramento foi uma noite de festival com mais de mil pessoas e ingressos esgotados.

Durante a pandemia, o Sonâncias migrou para o audiovisual e produziu 3 mini-docs sobre iniciativas que transformaram a cena musical de MG nos últimos anos: a casa de shows A Autêntica, o coletivo de música eletrônica masterplano e o estúdio Ilha do Corvo. Em 2022, o evento retornou às atividades presenciais com uma série de shows e debates, com shows de Juçara Marçal Kiko Dinucci, BK, Maria Beraldo, Jadsa, Saskia, Luiza Brina, Constantina, Jay Horsth e ruadois.


PROGRAMAÇÃO


1º de junho | quinta-feira

19h30 | escritório quente (centro)

Festa de abertura: show da ÀIYÉ | R$35. Ingressos limitados no contato@quente.org.br


2 de junho | sexta-feira

18h | jardim do Teatro Francisco Nunes

Conversa: Trajetórias artísticas como retratos de cenas musicais

Participantes: Rodrigo Lima (Dead Fish), Larissa Conforto, Mariana Cavanellas, Luciano Viana e Bruna Vilela.


20h | Teatro Francisco Nunes

Show: Lupe de Lupe + Dj Naroca

3 de junho | sábado

15h | jardim do Teatro Francisco Nunes

Conversa: Atrofiamento da crítica musical Participantes: Leonardo Lichote, Pérola Mathias, Rodrigo Ortega, Marcelo Santiago e Damy Coelho.


18h | Teatro Francisco Nunes

Show: Sara Não Tem Nome


19h | jardim do Teatro Francisco Nunes

Conversa: Festivais e experimentação musical Participantes: Jefferson Dias (Psica – Belém/PA), Patrícia Bizzoto (Quartas de Improviso), Gabriel Lopo (Toca na Favela), Aniston Nest (quente) e Marcos Boffa.


20h | Teatro Francisco Nunes

Show: Jennifer Souza + Dj JJBZ



37 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page